Rebobinando – Star Wars Episódio III – A Vingança dos Sith

Yooooooooooo, Lords Sith espalhados pelo Multiverso! 

Nosso aquecimento rumo ao Despertar da Força continua! Depois de relembrarmos de A Ameaça Fantasma e Ataque dos Clones, agora temos o ponto alto da Nova Trilogia (que admito não ser tão alta assim essa altura de A Vingança dos Sith!).

Depois da ameaça dos Sith ter sido revelada e os Separatistas estarem avançando sobre o sistema intergaláctico, os Jedi agora tem que resgatar o Senador Palpatine das garras do Conde Dooku. Anakin acaba concretizando mais um desejo do Lord Sith disfarçado, mostrando sua lealdade ao Senador, e seu caminho ao Lado Negro é cada vez mais evidente. 

Após estes acontecimentos, vemos mais um vilão sendo destruído, o General Grievous (que, desta vez, devemos reconhecer, tem um CGI muito bem feito…), sendo morto pelo Obi-Wan Kenobi. Logo depois temos o surgimento do Império, a queda dos Jedi e a batalha sensacional de Kenobi e Anakin, surgindo, assim, Darth Vader.

Rebobinando - Star Wars: A Vingança dos Sith

Eu cresci assistindo a Nova Trilogia e sempre achei sensacional certas cenas de ação. Porém, compreendendo o todo, depois de um tempo, noto sim muitos erros dos quais ”Sir” George Lucas poderia ter tomado algumas precauções para não deixar tudo nas trevas, como fez. Vemos um potencial gigante do que poderia ser mais, muito mais desse prequel. Esse filme é realmente um bom filme, mas a trilogia inteira poderia ter tido esse tom, essa atmosfera. Fora que John Williams ajuda muito com sua trilha sonora sensacional (e quero ver arrasando novamente em Dezembro).

Temos três vilões aqui que são bem assustadores e com potencial para fazer estragos nos Jedi – que são muitos nestes filmes – de maneiras épicas. Vemos Darth Maul, Conde Dooku e General Grievous. Se colocassem estes vilões em harmonia (com o Senador como plano de fundo, claro…), mas usando-os com sabedoria para serem antagonistas dignos – em que só precisaria vence-los apenas usando o Lado Negro – e isso seria o caso de Anakin, seria espetacular. Mas George Lucas assim não quis.

Todos estes três vilões serviram apenas para preencher estória, para “tampar” certos buracos que, mesmo assim, só levantaram mais questões como, por exemplo, Leia se lembrar da mãe na Antiga Trilogia, enquanto na Nova não dão muita oportunidade dela poder se lembrar mesmo usando a Força. Outra questão também é sobre midichlorians sendo mencionados só no Episódio 1. Ou, então, porque o R2-D2 não comunicou, de alguma forma, para os nossos heróis na Antiga Trilogia, da qual Darth Vader era Luke Skywalker? Enfim, muitas questões e poucas respostas…

Rebobinando - Star Wars: A Vingança dos Sith

Mas, de qualquer forma, ainda podemos tirar muitas coisas boas também deste filme em especial. Temos ainda muitas cenas de ação (muito bem feitas, aliás…), como as batalhas finais de Palpatine vs. Yoda e de Kenobi vs. Anakin. Assim também como a abertura do filme e a batalha de Kenobi vs. Grievous. Temos um tom sombrio e uma tensão que está sempre no ar e culmina em Mustafar, um planeta com belos efeitos visuais. Apesar da queda meteórica de Anakin para o lado negro ter sido realmente muito rápida, podemos entender o porquê disso também. Palpatine foi muito sagaz e os Jedi muito cegos para não verem Anakin pendendo para o lado sombrio e não terem muita compaixão para com ele. Foram duros e ele não correspondeu de um modo Jedi, fora seu casamento secreto com Padmé. 

Mas os ideais de governar a Galáxia, com alguém ao lado, sempre passou pela cabeça de Anakin. No Episódio II, vemos isso em uma conversa com Padmé e no Episódio III vemos um pouco mais disso. Ele não confia no Senador, mas, mesmo assim, é muito leal. Ainda mais depois do que ele sofreu nas mãos de Obi-Wan Kenobi na batalha final do filme – na cena onde Hayden (Anakin) teve seus 5 minutos de bom ator (nada como quase morrer queimado em larva para ascender um ator… por 5 minutos, claro!). 

Não prolongando muito, assim como George Lucas, A Vingança dos Sith é sim um dos meus filmes prediletos (me julguem!), pois marcou época sim e foi o último filme bom que tivemos de Star Wars. E eu disse bom mesmo… Vemos a ascensão na velocidade da Luz de Darth Vader e do Império que foi arrasador e acabaram com a Ordem dos Jedi. E a trilogia nova serviu, ao seu propósito, para nos mostrar um prequel de Obi-Wan e Darth Vader. Porém, poderia ter mostrado muito, mas muito mais potencial do que mostrou até 2005.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here