Rebobinando – Pulp Fiction

“Say what again! I dare you! I double dare you motherfucker!”

Salve, pessoas! Como o primeiro rebobinando começou bem com um filme de Quentin Tarantino, então nada melhor do que falar de outro de seus filmes que, aliás, lhe rendeu seu primeiro Oscar como diretor. Sim, nesta série recomendaremos filmes que, na nossa opinião, foram importantes para a história do cinema e que você precisa assistir.
O que acontece quando se tem um casal de assaltantes, um pugilista fracassado que é pago para perder uma luta, dois assassinos, um viciado em hambúrgueres acompanhado de seu parceiro filósofo e a namorada drogada de um bandido? Nada menos do que uma das obras primas de Tarantino, o filme vai narrar três histórias diferentes fora da ordem cronológica, mas que se entrelaçam entre si por causa dos personagens.

O nome do filme é uma homenagem às revistas Pulp do início do século XX, feitas de um papel barato fabricado a partir da polpa de celulose, das quais eram caraterizadas pela violência.

Esta obra merece uma atenção especial por aquilo que Tarantino estabelece – o que acaba sendo a sua marca registrada daqui pra frente -, os diálogos. Antes da década de 90, os diálogos que víamos em longas, geralmente, a grande maioria, sempre tinham a ver com o filme e quase nunca parecia uma conversa normal. Já em Pulp Fiction temos um roteiro muito bem construído e a interação entre os personagens parece mais fluída e mais crível. Além disso, outro poder de Tarantino é o de resgatar atores esquecidos e faze-los atuarem bem, mais ou menos como Scorsese. John Travolta, que era simplesmente conhecido pelos seus filmes de dança, faz um ótimo trabalho em uma atuação mais séria, além de lançar ao estrelato Samuel L. Jackson e Uma Thurman que, apesar de terem atuado em vários filmes, só foram realmente reconhecidos nesse longa.

Outro destaque do filme é sua narrativa fora da ordem cronológica – apesar de ser uma história só, Tarantino recorta todo a obra e a monta da forma como ele quer, é só prestar atenção e você vai notar a riqueza de detalhes -, não precisa ligar os acontecimentos para entender o filme, apenas preste atenção e se divirta com esta obra genial!

Além de ter uma das melhores trilhas sonoras de todos os tempos – outra coisa que também viria a ser marca registrada de Tarantino (eu, por exemplo, tenho quase todas as faixas do filme).

Se você ainda não assistiu Pulp Fiction, pare agora tudo o que você estiver fazendo e corra para baixá-lo ou assisti-lo no Netflix… Simplesmente um clássico da cultura pop, além de ser divertidíssimo! Ai está mais uma indicação do site para vocês, meus caros leitores… espero que gostem!

ANÚNCIO

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet