Doutor Estranho – Diretor revela 7 curiosidades sobre o final e os bastidores do filme

Olá, caros leitores.

Em entrevista à Revista Empire, o diretor Scott Derrickson revelou varias curiosidades sobre diversas decisões tomadas ao longo da produção do filme.

Gostaria de informar primeiro que esta notícia contém SPOILERS do final do filme.

Siga por sua conta e risco…

 

  1. O FILME TEM SEUS ACONTECIMENTOS AO LONGO DE UM ANO.

Em um filme onde o tempo é muito relativo, é complicado dizer quanto tempo se passa durante o tempo de execução. O diretor Scott Derrickson confirmou que ele é definido nos “dias de hoje“, como as referências à Beyoncé e Wi-Fi sugerem, mas todo o filme cobre um período de cerca de um ano.

Stephen Strange gasta cerca de “três a seis meses” na recuperação de seu acidente. O filme todo começa a partir de um outono para o outono do ano seguinte, embora Derrickson acrescentou a ressalva:

“Não me prendi a isso, porque eu não fiquei pensando sobre isso por longo tempo. Há uma resposta mais precisa, mas eu não me lembro.”

 

  1. BENEDICT CUMBERBARTCH FORNECEU A VOZ E CAPTURA FACIAL PARA DORMAMMU.

Mads Mikkelsen teve o papel de “cara mau e traiçoeiro” como Kaecilius, mas ele é apenas um peão em comparação com o poder do todo-poderoso Dormammu. O demônio da Dimensão Negra, Derrickson revela, foi interpretado por um Sr. Benedict Cumberbatch, que forneceu a voz e captura facial para o vilão ele mesmo enfrentou.

A razão para isso foi três vezes“, como Derrickson explica:

I – Benedict sugeriu.

II – A grandiosidade de sua voz – ele era Smaug, é claro.

III – Ele compreendeu exatamente quem era Dormammu. Ele é o narcisista cósmico final. Havia algo grande sobre a relação espelhada entre os dois.

A voz de Cumberbatch foi misturado um pouco com a voz de um outro ator desconhecido, de modo que o público não seria capaz de reconhecê-lo.

 

  1. O VILÃO PRINCIPAL FOI IMAGINADO PARA SER O PESADELO.

Estranho batalha contra Kaecilius e Dormammu no filme, porém o vilão principal poderia muito bem ter sido outro… Pesadelo, o primeiro inimigo que ele enfrentou nos quadrinhos. Era a esperança de Derrickson ter o governante da Dimensão dos Sonhos como o principal antagonista, mas o chefão do Marvel Studios, Kevin Feige, contra argumentou ele.

“Kevin fez um caso muito convincente”, diz Derrickson. “O problema com começar com Pesadelo está em receber toda a ideia da Dimensão dos Sonho como uma outra dimensão. O filme foi bastante difícil. Já é um filme de exposição pesada… Dormammu fez mais sentido. E ele é o mais presente vilão nos quadrinhos.”

 

  1. DOUTOR ESTRANHO FOI, POSSIVELMENTE, MORTO MIL VEZES NO LOOP.

O filme termina com uma sacada genial da parte do Stephen em “barganhar” com Dormammu, forçando-o em um loop onde Strange é assassinado continuamente, e o tempo é invertido, assim, prendendo Dormammu para sempre como “seu escravo eterno“. Em uma versão anterior do script, é especificado quanto tempo os dois adversários estão presos neste ciclo.

“Nós tivemos uma linha de diálogo, onde Estranho diz: ‘Nós já passamos por isso mil de vezes. Literalmente’. Imaginei a ideia de que eles realmente passaram por isso mil vezes, até que Dormammu finalmente percebe que ele não estava indo para lugar algum, sem conseguir sair de lá.”

Ele conta que decidiram tirar o diálogo do filme para deixar a quantidade de vezes na imaginação do espectador.

 

  1. STRANGE SE TORNARIA O MAGO SUPREMO EM UMA VERSÃO INICIAL DO ROTEIRO.

Strange sobe muito rapidamente através das fileiras de Kamar-Taj, e se torna um poderoso feiticeiro até o final do filme, mas ele não é O Mago Supremo, como ele é notoriamente conhecido nos quadrinhos.

“Tivemos versões de script onde ele se torna o Mago Supremo”, diz Derrickson. “Nós apenas tivemos tantos problemas com isso. É prematuro. Uma vez que ele é soprado através do santuário de Nova York, ele só aceita o seu papel como um feiticeiro em conflito durante 24 horas. É um longo caminho para ser o Mago Supremo. Eu acho que os quadrinhos tiveram dez anos antes dele realmente tornar-se o Mago Supremo.”

Então, com a Anciã aparentemente morta, a posição está atualmente vaga. Quem sabe num futuro próximo…

 

  1. MORDO É UM FUNDAMENTALISTA ANTI-FUNDAMENTALISTA.

Mordo é um personagem que fascina Derrickson. Um vilão nos quadrinhos, ele é um aliado confiável de Strange na maior parte do filme, antes de ser revelado como um antagonista no final das cenas pós-créditos.

“Ele é um fundamentalista”, afirma Derrickson. “O fundamentalismo é uma palavra tão pejorativa e evoca imediatamente imagens de extremismo com raiva. Na minha experiência, isso não é geralmente o que parece. Eu era um fundamentalista na escola. Eu fui a uma alto escola cristã fundamentalista e fui para uma igreja fundamentalista, e eles foram ótimas pessoas, havia um incrível senso de comunidade. O problema é quando a confusão da vida real entra e a inflexibilidade de um código moral não pode lidar com as realidades do relativismo moral.”

A inflexibilidade do Mordo o leva a um caminho mais escuro, Derrickson explica:

“Quando alguém dá-se ao longo de um código moral extraordinariamente rigoroso, o processo de quebra é uma violenta. Ele torna-se desiludido com as contradições morais da Anciã. A diferença é que Strange pode aceitar essa contradição. Mordo não pode lidar com isso, e é por isso que o grande salto na pós-créditos faz total sentido.”

 

  1. CAROL DANVERS ENCONTRA-SE NO HOSPITAL DE STEPHEN STARNGE DEPOIS DE SER ATINGIDA POR UM RAIO. (?!)

Na cena de Doutor Estranho em que Stephen Strange sofre o acidente de carro que estraçalha suas mãos, uma possível menção à Capitã Marvel tem deixado os fãs inquietos. Na cena, pelo telefone, o assistente de Strange passa vítimas de acidentes que podem servir de pacientes para o cirurgião.

Depois de mencionar um Coronel da Marinha que sofreu uma fratura na coluna usando uma “armadura experimental” (em provável referência à queda de James Rhodes em Guerra Civil) o assistente sugere uma vítima que interessa Strange: Uma mulher de vinte e poucos anos que foi acertada por um relâmpago, acidente complicado por um implante eletrônico no cérebro que a ajudava a lidar com esquizofrenia.

A tal jovem seria Carol Danvers antes da sua transformação em Capitã Marvel? Derrickson faz mistério ao falar sobre o assunto:

“Tudo o que posso dizer é… talvez. Sobre isso vocês vão ter que esperar para ver…”.

Nos quadrinhos, a criação da Capitã tem outra explicação e envolve ameaças alienígenas e transferências de poderes Kree, mas a Marvel já indicou que pode mudar a origem dela no cinema.

Doutor Estranho já está nos cinemas. Já foi conferir? Leia nossa crítica AQUI. Não esqueça de comentar se gostou.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet