O que falar de um evento como esse?

Um paraíso literário a todo leitor apaixonado. Com seus estandes temáticos, palestras, promoções e autógrafos, a 24º Bienal internacional do livro de São Paulo (2016) com certeza merece sua visita e atenção. Acompanhe aqui de maneira bem pessoal, qual foi minha impressão sobre alguns pontos, e o que merece o devido destaque na Bienal deste último domingo (28).

Para ajudar aos leitores que não irão de carro, saibam que o traslado funciona perfeitamente e sem demora, com destinos como: Estação Barra Funda e Estação Tietê, os ônibus partem a cada 10 minutos, sem demora e sem muita espera.

Na recepção do evento, tudo muito bem organizado (as filas dos caixas como sempre enormes), então recomendo que você compre o ingresso pela internet e leve apenas sua credencial para evitar filas desnecessárias, (Não esqueça seu documento com foto).

Todo evento da Bienal como de costume sempre há estandes bem organizados e bonitos, e sua 24º edição não deixou a desejar. Trazendo uma abordagem bem mais jovem e focada no público infantil alguns foram destaque pela beleza e criatividade como: Saraiva, Companhia das Letras, Itaú, Disney, Submarino, LeYa, Espaço Mauricio de Sousa, Panini entre outros.

A simpatia dos atendentes, as promoções para o evento e o ambiente agradável, deixaram os fãs muito mais a vontade, dispostos a gastarem sem pensar no amanhã. O evento trouxe sessões de autógrafos e lançamentos de livros de muitos Youtubers, que estão entrando no mundo literário com muita sorte. Há um extremo incentivo a lançar novos escritores, tanto por parte das editoras que estão abertas a novos talentos literários, como por conta dos distribuidores como a  própria Amazon, que através de seus livros digitais permite sempre novos entrantes no ramo. Um de seus representantes explicou o processo para venda de livros independentes no formato para  ebook (Kindle) e a solicitação para o livro impresso, com o mesmo conteúdo, ficando a critério do leitor.

O lugar por si só simplesmente te envolve, te faz querer ficar lá horas e horas, passeando entre os vários e vários livros. Através dos anos, me tornei um entusiasta da leitura, procuro sempre incentivar as pessoas a lerem mais, se informar mais, e além de tudo serem mais felizes, coisa que um simples livro pode fazer por você. É simplesmente lindo, ver a nossa futura geração interessada em livros e quadrinhos, muitas e muitas crianças com seus livros e hqs passeando com seus pais procurando seus personagens favoritos.

Segui o conselho do nosso guia do MN para Bienal, sobre levar sua própria comida e água, pois vi que realmente os preços são astronômicos, e driblar isso já é um ganho e tanto. Tive que me segurar, e ao meu cartão de crédito também, hoje em dia as editoras estão caprichando nas publicações e a vontade é de levar todos pra casa, mas o bom mesmo, é montar uma lista do que procurar na Bienal, ir na editora certa e comprar apenas o que já se está pensando.

PAINEL DE TÍPICOS ERROS COTIDIANOS

Não ir apenas com o propósito de comprar (Até porque nem todos são baratos) mas curtir e conhecer coisas novas, cenários para fotografia, entrevistas, autógrafos, aproveite tudo isso, pois não se sabe se terá a oportunidade novamente. Encontrei editoras como a Martins Fontes com 50% de desconto em todos os livros (vale a pena conferir). Também outras editoras como Novo Século e Panini que estavam também com ótimos descontos. O bom de ir com tempo, é que se acha edições que estavam esgotadas, raridades e re-publicações que ainda não chegaram ao grande público.

Vá com roupa confortável, andar no evento cansar, e ir embora por um sapato apertado ou desconfortável não é legal. Curta o evento, passe o maior tempo possível, vá vários dias, aproveite pois só teremos novamente em 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here